Audaz criadora da mini-saia Mary Quant | Representatividade na Moda

A estilista que revolucionou no "Swinging London".

Mulher de fibra, com opinião e mentalidade comercial, Mary Quant foi a estilista mais icônica dos anos 60. Pioneira no design e no varejo, ela popularizou as linhas hemline super altas e outros looks irreverentes que foram fundamentais para o desenvolvimento da cena 'Swinging Sixties'. Nossas coleções de moda incluem exemplos de seus designs famosos das décadas de 1960 e 1970. 

A moda é uma ferramenta para competir na vida fora de casa. 

-Mary Quant



Mary Quant nasceu e cresceu em Blackheath, Londres, filha de dois professores galeses. Após a recusa de seus pais em deixá-la frequentar um curso de moda, Quant estudou ilustração na Goldsmiths, onde conheceu seu futuro marido, o aristocrata Alexander Plunket Greene. Ela se formou em 1953 com um diploma em educação artística, e começou um aprendizado em um modista de primeira linha, Erik, da Brook Street. Em 1955, Plunket Greene comprou a Markham House na King's Road, em Chelsea, Londres, uma área freqüentada pelo "Chelsea Set" - um grupo de jovens artistas, diretores de cinema e socialites interessados ​​em explorar novas maneiras de viver - e se vestir. 

A esquerda Mary Quant


Quant inicialmente abasteceu a loja com roupas que ela poderia obter no mercado atacadista, explorando a oportunidade de oferecer uma nova visão sobre o estilo feminino. Mas ela logo ficou frustrada com as roupas disponíveis. Encorajada pelo sucesso do que Quant descreveu como um par de pijamas 'loucos' que ela projetou para a abertura do Bazaar (o design da revista Harper's Bazaar e mais tarde comprada por um fabricante americano), ela decidiu começar a estocar a boutique com seus próprios projetos.





Quant era um designer autodidata, frequentando aulas noturnas de corte e ajuste de padrões impressos de mercado de massa para obter a aparência que procurava. Uma vez tecnicamente proficiente, ela iniciou um ciclo de produção de mão-a-boca: as vendas do dia no Bazaar pagaram pelo pano que foi então transformado durante a noite em novo estoque para o dia seguinte. Embora exaustivo, essa abordagem de indústria artesanal significava que os trilhos do Bazaar eram continuamente atualizados com pequenas tiragens de novos projetos, satisfazendo a fome dos clientes por olhares novos e únicos a preços competitivos. V & A London


Mary Quant criou saias e vestidos curtos, com modelagem simples e cores vivas, expostos em vitrines extravagantes. Em um momento de revolução cultural, no auge da moda dos anos 60's podemos relembrar essa figura que gerou muita polêmica entre os homens machistas é claro, pois em sua biografia relata que batiam na vitrine de sua loja, demostrando indignação pelo estilo de roupa criado, chamando-o de "imoral".

 "Swinging London" , Dior, não traia à mini-saia; B. S. P. M. Apoie à mini-saia / 1960.

Com seu jeito simples e divertido, comenta : "Acontece que minhas roupas correspondiam exatamente à moda adolescente, ao pop, aos cafés com expressos e aos clubes de jazz", relata em "Quant by Quant", sua primeira autobiografia.

Independente do contexto em que era se usada uma mini-saia, é claro o preconceito com a vestimenta feminina anos atrás, e temos esse problema até os dias de hoje. A moda é consumida principalmente por mulheres, mas muitas vezes criada e controlada por homens.

Um termo utilizado no ramo da moda, é a famosa "Pista de vidro", cunhado pelo sociólogo Allyson Stokes em 2015 para descrever como, independentemente do seu talento, as designers do sexo feminino raramente alcançam o nível de aplausos e poder concedidos aos designers masculinos. Logicamente, isso não se deve à falta de aptidões e sim à um desequilíbrio de anos na indústria da moda.


Quant, desde a abertura da loja Bazaar na Kings Road, em Londres, em 1955, mostrou uma vertente do feminismo que muitas mulheres esquecem que possuem, como a integridade pessoal, o poder do controle criativo e a sagacidade no mercado. 

Mary Quant com 84 anos.

Ela capturou o diferente, rebelde, divertido e o desejo pelo inesperado na geração, democratizando a indústria fashion. As roupas nos anos 60's com predominância do estilo hippie, transmitiam a paz e amor e os lemas da época eram por cores alegres e estampas divertidas, demonstrando em essência, a liberdade de expressão perante o regime ditatorial em países como o Brasil, Chile e França.

Já trazendo essa reflexão, vemos o quanto é importante o feminismo em todas as áreas, deste modo, com a moda não é diferente. 

Mulheres, empoderem-se! 

(Meryl Streep) Miranda Priestly, personagem do drama mais conhecido no mundo da moda, O diabo veste Prada, filme lançado em 2006
A visão criativa singular e a voz forte de Quant são o que a tornam uma inspiração refrescante e ainda revolucionária para os amantes de moda pós-metoo. 
- Jenny Gilbert,  professora de design na Universidade De Montfort para matéria do site Independent.
Audaz criadora da mini-saia Mary Quant | Representatividade na Moda Audaz criadora da mini-saia Mary Quant | Representatividade na Moda Reviewed by Natali Lourenço on 13:54 Rating: 5

17 comentários:

  1. com certeza a mini saia revolucionou o mundo da moda e td o comportamento de uma geração, um marco na historia da moda

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Oi, td bem?
    Não sabia da história e achei mega interessante! Foi um momento muito importante e que bom que existiu para termos isso até hoje!
    Beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gostei de conhecer um pouco da história de Mary Quant.
    Estou com uma Pesquisa de Público no blog e convido você para participar.
    big beijos,
    Lulu
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  4. Adorei, tudo muito lindo!
    https://www.nicenessbeauty.com/

    ResponderExcluir
  5. Confesso que não sou ligada em moda, por isso não a conhecia. Mas adorei a história dela e como ela mudou a moda dos anos 60!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  6. Adorei conhecer a história de Mary Quant, com certeza és uma inspiração para muitas de nós que seguimos na luta. A mini saia foi uma tremenda mudança na Moda, hein.

    Grande beijo, Franci.
    www.delirioscotidianos.com

    ResponderExcluir
  7. Amei seu post, incrível como cada roupa, cada objeto, tem uma história, né?

    htpps://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia essa história. Que bacana
    www.achatadebatom.com

    ResponderExcluir
  9. Que post maravilhoso e interessante! Adorei saber mais. :) E o que você disse é verdade, o feminismo está presente em tudo e na moda nem se fala!
    Um beijo!

    Fe
    www.feejao.com

    ResponderExcluir
  10. Adorei conhecer a Mary. Já tinha ouvido falar nela, mas nunca tinha conhecido toda a historia! Realmente foi uma grande mudança para a epoca !
    beijinhos

    Rafaela Borges || InstaGram || KnightLaand ❤

    ResponderExcluir
  11. É foi uma revolução no mundo da moda eu não sabia tudo sobre a história e achei tão uau.
    Adorei saber mais e obrigada por esse post.
    Beijos!
    http://www.pamlepletier.com

    ResponderExcluir
  12. Já conhecíamos a historia de Mary Quant mas amamos saber um pouco mais. É ótimo saber que existiram mulheres tão incríveis na moda.

    Beijos


    onlyinspirations.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Confesso que não conhecia a história da Mary Quant. Mas sei que muitos nomes icônicos da moda foram na realidade uma revolução na época em que viveram. E são exemplos que devemos lutar por muita coisa ainda. Gostei bastante de saber sobre ela. =)
    Bjks!

    Mundinho da Hanna

    ResponderExcluir
  14. Mary Quant é lendária! Estudei sobre ela na faculdade, mas não foi tão a fundo assim e gostei muito de conhecer mais ainda sobre a história dela. Sem dúvidas as mulheres são pouco reconhecidas no mundo da moda e posts assim são importantes pra que o reconhecimento exista <3

    Um beijão,
    GABS | likegabs.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Amei demais o seu post, eu nem sabia quem era Mary Quant. Faz mais posts assim!

    Beijos,
    www.thalitamaia.com

    ResponderExcluir
  16. Muito legal o post! Apesar de saber que foi um ato revolucionário e polêmico, não sabia os detalhes da criação da mini-saia. Incrível saber sobre a mulher por trás disso tudo. Girl power demais!

    Um beijo!
    Hey, Maria! | Fanpage

    ResponderExcluir
  17. Gostei muito de conhecer sobre essa mulher. Com certeza uma mulher forte, que marcou sua geração.
    Bom restante de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Voltamos do hiatus com bons conteúdos.

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.